Afasia

A afasia é um distúrbio neurológico adquirido de linguagem que pode afetar a emissão oral e escrita e a compreensão oral e escrita, ou seja, é uma alteração na comunicação que pode ser caracterizada por troca de letras e palavras, esquecimento dos nomes de objetos e pessoas que acontece tanto na fala espontânea quanto na repetição ou na escrita e por alterações na compreensão do que é falado ou lido.

A afasia pode ser decorrente de lesões como o AVC (derrame), tumores intracranianos, ferimentos por arma de fogo na região da cabeça, dentre outros.

Se você conhece alguém que teve uma lesão cerebral e passou a ter dificuldades para se comunicar (falar, compreender, ler, escrever), essa pessoa pode ter uma afasia e é importante procurar um fonoaudiólogo.

Existem diversas classificações e diversos tipos de afasias. Em uma das classificações mais utilizadas podemos ter: Afasia de Broca, Afasia de Condução, Afasia Transcortical Motora, Afasia de Wernicke, Afasia Transcortical Sensorial, Afasia Amnéstica, Afasia Transcortical Mista, Afasia Motora Mista, Afasia Mista e Afasia Global. Dependendo do tipo da afasia podemos encontrar algumas pessoas com dificuldade para falar, enquanto outras podem  ter dificuldade em seguir uma conversa. Para alguns, a afasia é bem leve e você pode nem notar ao primeiro contato. Em outros casos, ela pode ser muito grave afetando a fala, a escrita, a leitura e a compreensão. Os sintomas específicos são muito variados, mas o que todas as pessoas com afasia têm em comum são as dificuldades de comunicação e a pessoa pode ter dificuldade para se lembrar de palavras e nomes, mas isso não significa que ela tenha uma alteração de memória nem que a inteligência dela tenha sido afetada.

A avaliação e o tratamento da afasia deve ser iniciado precocemente para que o paciente possa voltar a se comunicar de forma funcional e esses procedimentos são realizados pelo fonoaudiólogo.

A reabilitação das afasias traz a melhora porque estimula a reorganização neurofisiológica, facilita o processamento da linguagem e compensa os déficits inalteráveis.

 

Terapia de Contenção Induzida para Afasia

É uma técnica de terapia publicada por Puvermüller e col. (2001) que tem como objetivo desencorajar o uso de estratégias de comunicação compensatórias, como apontar, gesticular, escrever e desenhar, e fazer um treino intensivo de comunicação falada (3h/dia, 5x/semana). Tem resultados promissores mesmo em casos crônicos.

 

Dicas para facilitar a comunicação com uma pessoa com afasia:

- Fale de frente e sem cobrir a boca, não se vire ou se afaste enquanto fala.

- Diminua os ruídos do ambiente (desligue TV, som, peça silêncio, etc.).

- Fale de forma clara e pausada. Não grite, a pessoa com afasia pode ter dificuldade para compreender, mas isso não significa que ela tenha dificuldade para escutar.

- Use frases curtas e objetivas.

- Dê mais tempo para que a pessoa compreenda e responda o que foi perguntado.

- Procure não interromper a fala da pessoa com afasia, embora ajuda seja sempre importante.

- Faça perguntas simples e diretas, que possam ser respondidas com "sim" ou "não" ou com escolhas, como por exemplo "Você quer comer salada ou macarrão?". A pessoa com afasia pode tentar responder com palavras, escrita ou gestos previamente combinados, como balançar a cabeça, apertar a mão, piscar os olhos com força, etc.

 - Evite termos inapropriados e o uso de palavras de tratamento utilizadas para crianças, como "boquinha", "lindinho", etc., a menos que a pessoa goste de ser tratada desta forma. Respeite a idade da pessoa com afasia e trate-a como tal.

- Repita usando palavras diferentes.

 

Fontes: Distúrbios Neurológicos Adquiridos e Cem Bilhões de Neurônios em Google imagens.

Entrevista

Leia a entrevista do Dr. Drauzio Varella a fonoaudióloga Fernanda Papaterra Limongi sobre a afasia:

drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/11410/