Demência

A demência não está relacionada diretamente ao envelhecimento normal. O envelhecimento normal é acompanhado normalmente por uma diminuição da memória e, eventualmente, uma queda no desempenho intelectual. Entretanto, esse processo é leve, não piora com o tempo e não interfere com as atividades normais do dia-a-dia.

A demência, por outro lado, é uma doença. Seu primeiro sintoma é, habitualmente, a dificuldade para se recordar de fatos ocorridos recentemente ou de nomes, principalmente se aprendidos há pouco tempo. Com a evolução da doença, os problemas de memória vão se agravando e, progressivamente vai se instalando um quadro demencial, onde ocorre desorientação, confusão e grave distúrbio de memória. A pessoa começa a perder a capacidade  de interpretar aquilo que sente, ouve ou vê. Mais tarde, poderá encontrar dificuldades na realização das atividades cotidianas básicas, como a de alimentar-se, vestir-se, tomar banho e arrumar-se. A pessoa passa a ter dificuldade para escolher uma roupa apropriada, usar telefone, dirigir automóvel, etc. Em geral, a fala e a escrita ficam comprometidas. Também podem ocorrer dificuldades de mastigação e deglutição, com engasgos frequentes ou manutenção do alimento parado na boca. Pode-se ter dificuldades para "segurar" a urina ou as fezes.

Existem vários tipos de demência sendo a Doença de Alzheimer a forma mais comum de demência.

 

Sintomas da doença de Alzheimer

Os sintomas da doença de Alzheimer variam de paciente a paciente e conforme o estágio de evolução da doença e podem ser leves, moderados ou graves.

As seguintes queixas, entre outras, são comumente relatadas por familiares / cuidadores ou pacientes com doença de Alzheimer.

"Eu vivo me esquecendo..."

"Não me lembro onde deixei..."

"Facilmente, esqueço dos números de telefone e de pagar contas."

"Meu pai se perdeu..."

 

A doença de Alzheimer e o envelhecimento normal

Uma das dificuldades de realizar o diagnóstico da doença de Alzheimer é a aceitação da demência, pela sociedade, como consequência normal do envelhecimento. Deste modo, é comum pacientes serem levados para a avaliação médica somente quando já se encontram em estágios mais avançados da doença e, portanto, com menores chances de obter os melhores resultados do tratamento.

 

Fontes: Distúrbios Neurológicos Adquiridos e Google imagens